Escritor Romeu Donatti - Sinop-MT

01/01/2021


Romeu Donatti nasceu em Guaporé-RS e mora em Sinop-MT desde 1984. É professor de língua inglesa da rede pública de ensino do Estado de Mato Grosso. Graduado em Letras/Português e Inglês pela Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT - 1997) e Mestre em Letras (na linha de pesquisa em estudos linguísticos) pela mesma instituição, em 2018. Apaixonado por séries policiais e poesia.

Antologia volume 13 Encaminhado em 07/01/2021

Amar, o mar e o amor
Neste mar que beija a areia
Nesta areia pronta a beijar
A noite sutil abençoa e clareia
Encontro efêmero sob o luar

Quando o mar beija a areia

Torna tudo mais bonito
Deixa um cheiro de saudade
E gostinho de infinito

Do mar a doce sereia chama
Para uma melodia entoar
Enfeitiçado, o coração se inflama
Quebram-se as ondas do olhar

Etérea, a sereia apareceu
Minha boca se uniu a sua
Feliz, a estrela beijou a lua
A Terra inteira estremeceu

Fortuita, a sereia se foi
Nem mesmo um adeus
Mas sei que há de voltar
Para estes braços meus

Na areia que encontra o mar
Sob o sol e o céu desvelados
Onde a sereia esteve a cantar
Braços abertos, desamparados

Diante dessa imensa solidão azul
Fito o horizonte e alto eu chamo
Palavras soltas ao sabor do vento
A linda sereia que deveras amo

Nesse mar que beija a areia
Nessa areia que se deixa beijar
Noutro dia, oh formosa sereia
Mais e sempre irei te amar!

Antologia volume 14 Encaminhado em 06/02/2021

Que homem é esse?

Homem, ser pensante
Raciocínio constante
De alegrias e tristezas
Dúvidas e incertezas

Homem, ser racional
Cuja inteligência emocional
Profundamente se degrada
Em sua fé malograda

Homem feroz e petrificado
Esquece-se de sua infância
Imerso no torpor da ganância
O amor há tempo jaz alijado

Que homem é esse
Cujo maior interesse
Repousa na materialidade
E determina que o ter

Subjugue o ser
E lhe roube a humanidade?
E não é o homem um ser pensante
Dotado de capacidade intelectual?

Não é ele que esmaga seu semelhante
De maneira feroz, cruel e amoral?
Esquece-se de sorrir na alegria
Mas regozija-se na tristeza alheia

Acalanta sua alma dura e fria
No lamaçal que seu coração margeia
Você deteriora a beleza do mundo
Sua mão repulsiva só toca o mal

Entorpecido por seu sonho imundo
De ser um ser humano maioral
Reforça seu desejo mais profundo
E sua estupidez de um ser irracional!