Erivan José dos Santos

15/04/2020

Professor de Língua Portuguesa, Bacharel em Direito, (Advogado), Mestre em Administração, escritor, palestrante, 

ANTOLOGIA VOLUME 07

Soneto de um kamikaze
 

Eu queria ser quem sabe um kamikaze

E no impacto de uma frase te dizer,
Que quem traz um grande amor em sua base
Abre mão do seu direito de viver.


Quando a toga não se faz valer a pena,
Envenena quem de auxílio precisou,
Nesse instante é que a espada entra em cena,
Exterminando o resquício que ficou.


Anoitece e de longe se percebe um clarão,
Não é festa comparada a uma quermesse
Os folguedos que se veem no rés-do-chão.


A fumaça entre as nuvens longe vai,
E logo após, num instante se percebe
O piloto que se despede com um haicai.