Bernadete Crecêncio Laurindo

28/11/2019

BERNADETE CRECÊNCIO LAURINDO

Catarinense de São José, reside em Sinop, há 34 anos.

Filha de Manoel Damásio Crescêncio e Maria Joana Crescêncio

Casada com Tiago Manoel Laurindo

Seus filhos: Cleyton, Tatiana e Dayana

Seus netos: Jaqueline, Isabella, Kauan e Ícaro

Sua nora: Cristiani Maria

                                                             Seus genros: Altair e Rafael

Advogada, Professora, Escritora e aposentada por tempo de serviço, pelo Poder Judiciário do Estado de Mato Grosso, como Oficial de Justiça. Graduada em Letras e Direito, cursou Pós-Graduação Lato Sensu, com Especialização em Língua Portuguesa.

Membro da ASCL - Academia Sinopense de Ciências e Letras. Fundadora e Ocupante da Cadeira n. 04, cujo Patrono é Cruz e Sousa. Foi Presidente da Academia Sinopense de Ciências e Letras, no período de setembro de 2015 a outubro de 2016.

Veio para Sinop, em janeiro de 1986, com o fim de gerir a criação, implantação e funcionamento da Escola Gente Esperança da APAE local, respondendo por oito anos, pela Direção, tendo sido a primeira Diretora dessa entidade.

Em Mato Grosso, na área de orientação pedagógico-administrativa, contribuiu para a criação de diversas entidades de Educação Especial - APAEs e PESTALOZZI - nos municípios de Juara, Juína, Sorriso, Vera, Cláudia, Mutum, Nova Canaã do Norte e Colíder, ministrando cursos, palestras, e coordenando demais atividades inerentes a essa mesma orientação, e fazendo acompanhamento sistemático, enquanto requeresse a nova Instituição. Na mesma linha de atuação, juntamente com a Equipe Técnica Multidisciplinar atuante na APAE, contribuiu na orientação aos docentes das então salas de atendimento especial/recuperação e reforço, de alunos com dificuldades na escrita e na leitura, prioritariamente, estudantes já com acentuado atraso cognitivo escolar.

Foi também, pioneira, nessa Região, com o processo de inserção e integração da pessoa com deficiência, na rede regular de ensino.

Assim também, foi pioneira em ações para conscientização da sociedade, e esclarecimentos referentes à prevenção das deficiências, com base em dados da Organização Mundial de Saúde, afirmando que 70% das deficiências seriam evitadas, com a adoção de condutas apropriadas e acompanhamento sistemático, em todas as fases da vida, desde antes da gestação, à idade adulta e avançada.

Professora desde os quinze anos de idade, sua prática docente abrangeu, desde o ensino fundamental, à Universidade. Atuou nas modalidades de Ensino Regular e Ensino Especial - área de Deficiência Visual, com o método de escrita e leitura ampliado e Braille, por meio do qual, alfabetizou crianças, jovens, adultos e pessoas com mais de 50 anos.

É membro do Fórum Permanente de Educação do Município de Sinop, representando o Segmento Social OAB de Sinop.

Participou da elaboração do Plano Decenal de Educação para o decênio 2015/2025.

O Plenário do Legislativo Sinopense lhe concedeu Moção de Aplauso e o Título de Cidadã Sinopense Benemérita.

Escreve contos, crônicas e poemas.

Eleita uma das cinco Melhores Escritoras Contemporâneas de 2020, no concurso promovido pela Editora Ações Literárias.

Viajar é uma de suas predileções. Resultado de suas viagens, conhece vários Estados brasileiros, alguns países da Europa, Canadá, Terra Santa (Galileia), Egito, Tel Aviv.

Obras Publicadas

É autora dos livros de Poemas

- POR FALAR EM TI

- ENCONTROS DE LONGES CAMINHOS

- VERSOS E SEUS REVERSOS

- SÓIS

- Participou do livro Dez Anos da Academia Sinopense de Ciências e Letras, e de várias Antologias.

Prepara um novo livro, contando a história de uma família sob o estigma da Hanseníase, em que a própria autora é personagem envolvida. Um fato ocorrido entre 1940 a 1952, durante o governo de Getúlio Vargas.

Poemas

NO MEU ESPELHO
No meu espelho mora uma imagem.
No meu espelho vive uma imagem real.
A imagem que mora no meu espelho
Não é alegre, é triste
Não conhece contos de fadas
Quase não ri
Não sabe sorrir
A moradora do meu espelho
Tem uma lágrima que lhe faz companhia...
No meu espelho vive uma imagem
Sem maquiagem,
Sem fantasia.

EFÊMERO
O tempo é água
Não se prende nas mãos
O tempo é sombra do próprio corpo
Que o próprio corpo jamais a alcança
O tempo é criança
Brinca de esconde-esconde
O tempo voa
É pássaro...
O tempo é avaro
Conta-gotas de Agora...
O tempo passa
É passageiro
(E o passageiro?... Passa ligeiro!)
O tempo?
Ah, o tempo é atemporal!

Livros publicados