Amanda Lima de Oliveira

28/11/2019

Amanda Lima de Oliveira é nordestina, natural de Olho D'água do Borges e reside na cidade de Sinop-MT. Graduada em Filosofia pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), especialista em Assistência Interdisciplinar em Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e graduada em Pedagogia pela Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT). Por influência da mãe (Maria das Dores Alves Lima) cultivou uma paixão pela leitura. Amante da poesia, encontrou na Literatura de Cordel o seu abrigo. Conviveu desde cedo com essa poesia genuinamente nordestina, seja através dos repentes/cantorias que ouvia com o seu pai (Raimundo de Paiva Lima - in memoriam), ou das declamações particulares da sua avó (Francisca Maria Alves - in memoriam), de quem acredita ter herdado a veia poética. No entanto, foi um professor e amigo (Josivaldo Constantino) que a despertou para sua paixão com o cordel. Desde então, ela escreve cordel para antologias, para eventos, e realiza palestras e minicursos nessa área. Em 2019 realizou um projeto de aulas de cordel no Centro de Acolhimento, Orientação e Proteção ao Adolescente (CAOPA), que resultou em um livreto de cordel com poesias produzidas pelos adolescentes durante as aulas. Realiza também palestras sobre saúde mental na educação, outro tema no qual ela se debruça.

Seja arretada 

A vida sempre nos dá
Uma forma de escolher,
E nem todo mundo vai
Conseguir compreender,
Há sempre quem vai julgar,
Então trate de agradar
Quem importa, que é você.
Não dedique o seu tempo
A quem sempre te diz "não",
Não aceite só migalhas
Por medo da solidão,
Acredite em você
E procure conhecer a sua melhor versão.
Você tem o seu poder,
Pare de se comparar.
Não enlouqueça a procura
De alguém pra te completar,
Seja feliz já sozinha,
Seja livre, perca a linha,
Preze por seu bem-estar.